Loading...

quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

Agora.. Estremoz

Pedi uma bifana no restaurante estranho do Rossio de Estremoz. 
Depois fui para o carro e abri o minipad.
Uma gota de tinto seca, no ecran rachado....

sábado, 22 de agosto de 2015

O Melhor Vinho do Mundo é Português - 2015

http://www.vortexmag.net/melhor-vinho-do-mundo-e-portugues/

Herdade do Esporão Verdelho é o Melhor Vinho do Ano 2015

por Lusa16 maio 20153 comentários
Herdade do Esporão Verdelho é o Melhor Vinho do Ano 2015
O prémio de Melhor Vinho do Ano 2015 foi atribuído ao Herdade do Esporão Verdelho, Denominação de Origem Protegida (DOP) Alentejo, que arrecadou também o galardão de Melhor Varietal.
O Bacalhôa Moscatel Roxo Superior (DOP Licoroso Setúbal) e o Ataíde Semedo Millésime Bruto (DOP Bairrada) conquistaram os prémios de Melhor Licoroso e de Melhor Espumante 2015, respetivamente, anunciou também o presidente da ViniPortugal, Jorge Monteiro.
Os prémios do Concurso Vinhos de Portugal 2015 foram entregues ontem à noite, no Solar do Vinho do Dão, em Viseu.
No que respeita às medalhas Grande Ouro Vinhos, além do Herdade do Esporão Verdelho, foram atribuídas aos vinhos Indicação Geográfica Protegida (IGP) Alentejano Monte da Ravasqueira Syrah Viogner e Herdade Grande Reserva e aos DOP Alentejo Private Selection e Herdade da Farizoa Grande Reserva.
Os vinhos Quinta Seara D'Ordens Talentvs, Altano Quinta do Ataide Reserva, Kopke Vinhas Velhas e Cottas Reserva Tinto, todos DOP Douro, e o IGP Duriense Maçanita estão também entre os medalhados nesta categoria.
A lista de medalhados com Grande Ouro Vinhos inclui ainda os DOP Dão Paço dos Cunhas de Santar Vinha do Contador, Cav e Pedra Cancela Reserva, os DOP Bairrada Grande Follies Tinto e Marquês de Marialva -- Arinto Grande Reserva, o DOP Beira Interior Colheita do Sócio, o DOP Trás-os-Montes Casal Faria Grande Reserva, o DOP Tejo Bridão Colheita Tardia e o IGP Tejo Casal da Coelheira Reserva BR14.

domingo, 26 de julho de 2015

Seating

Despite all the noise
my prayers leave me like the smell of wine
I pick the glass and give thanks once again...
This is a luxurious life,
This one of mine.

there is no break,
talking and talking
forks and knifes
cups and glasses

trays move from right to left and back
it is the tango of meals

but in my solitude I seep again the wine
I get lost in the vines where so much was done

indeed wine is forever.
I bless you Father
for you pamper me with no reason
indeed this wine purifies me

I finish the meal and my heart is warm
I look around and deeply see the unseen love of each for each
indeed this wine gives me sight

I thank you Father
unlike Omar Khayyam,
I never turn down an empty glass

domingo, 19 de julho de 2015

One more smile

Without concern
or love,
maybe

without apetite
or interest,
do not know

with this glass
of some unknown and uninteresting wine
like Job I submit to my condition

laughing to everyone's jokes
worried with all worries
missing all and no one

when will this bottle finish
I want to leave somewhere
where I am one with my loneliness

one more glass
one more bottle
one more smile...


sexta-feira, 15 de maio de 2015

glass of wine can equate to an hour of exercise

“I think resveratrol could help patient populations who want to exercise but are physically incapable. Resveratrol could mimic exercise for them or improve the benefits of the modest amount of exercise that they can do.” 
This article continues but .... let us not worry about it now.

Comer e beber

Um cominho de branco
fresquíssimo e à pressão
Chego a casa completamente tonto
Pergunto-me o que se passou

Passou o dia e só agora me lembro que,
além de beber, tenho também de comer.

Why wine

Without concern for the outside
and yet wonderfully worried,
I drink a cup or two

I wait for you 
my drinking companion
but not
not today 
am maybe never

Where are you?
were you ever you
where is the problem
where is the solution
where are we?
where is everybody
is anybody anywhere?

From time immemorial
this jewel has saved crowns
and drowned empires,
has started love affairs 
and caused war with good friends

I has been the cause of salvation
and we have used it for destruction
it has been purifying
and the bases of irremovable stains

come and stay here
let us open this one and pour down 
one glass
and talk over what pains us
for wine cleanses our sins
and makes us say good things to each other

I miss someone I have never met
or have I?
and glass after glass
search for this love I know
to be immense
I wake up every dawn in complete sadness
yet hopeful to have one more day to look for it

I walk and look
I drink and wish
I hide and open myself
I sing out of tone
and move in sinful desires
forgiven evermore
and every time
for wishing that what is not
to be wished

I feel the bottle
I hear the sound
I serve my friends
they pour me one glass
we salute
and I drink in total sadness and with a big smile
and love everyone

Wine makes me feel
the need to need
the need to give
the need to forget and
ask for forgiveness

it reminds me that it is true
that my love for all is true
that hate makes me nauseous
impure
so sure

isn't the honesty of wine
sufficient
obvious
simple
and liberating?

it frees my sadness into an ocean of loneliness
where I can safely search for love
for aren't we ordered to love one another

my spirit makes me a road
wide or sometimes narrow
exquisite with wonderful obstacles
and with a glass
I seat and laugh at them
What a life!


Come
drink with me
and love like me
love all and each
embrace me when you are drunk
and stay one more while

Do you smell this one?
Cover it with your mouth
and let yourself be taken into
the lands, the works, and the beauties of the lands it came
from
can you feel the toughness of this one's soil?
My Lord, isn't all this always a constant surprise

Let us drink one last glass
before dawn comes
and the sun dries off
what is left

  

sexta-feira, 1 de maio de 2015

O Vinho...verde ou não

 "....Mas então ao menos um copo de vinho verde."


"O escudeiro vergava, com a luzente bandeja de prata, carregada de copos de sangria onde boiavam rodelinhas de limão. E todos se tentaram, todos beberam, até Padre Soeiro, para mostrar ao Sr. Antônio Vilalobos que não desdenhava o vinho, dádiva amável de Deus - pois como ensina Tibulo com verdade, apesar de gentílico, vinus facit dites animos, mollia corda dat, enrija a alma e adoça o coração."

"Mas Barrolo bateu uma palmada na coxa. Que pena! que pena não terem Oliveira, "para o brinde de reconciliação", um famoso vinho do Porto, da garrafeira da mamã, preciosíssimo, velhíssimo, do tempo de D. João II...
- D. João II? - rosnou Gonçalo. - Está estragado!
Barrolo hesitou:
- D. João II ou D. João VI... Um desses Reis. Enfim, um vinho único, do século passado! Só restam à mamã oito ou dez garrafas... E hoje, era dia para uma, bem?"

Um momento

Um momento de solidão
nem comigo estive
ausente,
numa tasca com frango assado
um jarrinho de branco e
A Ilustre Casa de Ramíres
Nada mudou

segunda-feira, 20 de abril de 2015

Uma de Bordeaux e outra também muito bom

Depois duma de Bordeaux, tinto, acho, continuamos com uma dum outro muito bom.
Lembro-me que ao fluir para dentro do copo, era tinto.

A conversa prolongou-se pela noite afora, e por dentro da madrugada
com muito sentimento e cheio de latinizo.

Que lindas devem ser as vinhas donde vieram estes néctares.

Não há sentido beber sem sentimento, sem romance, sem tristeza.

Ó vinho
Ó vinho que tudo me dizes e tanto amor produzes.


quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Por Aqui

Nem pão, nem água nem, nem vinho,
Quem diria que nada tenho
Hoje, que tudo tenho, tudo procuro
Será que quero encontrar
será que me querem encontrar
estou aqui, pairando num mar de nada e de tudo,
já nem bebo, nem dou de beber
Com tanta liberdade, estou prisioneiro de tudo
e não posso ir a parte nenhuma
pois em nenhuma parte encontro Quem me procura.
Olho para os pequeninos que nada têm
e eu com tanto que nem me chega
Nesta época onde tudo se transforma,
Nesta época de renovação
Oro por um pouco de fé
Para que, enfim, possa pedir um pouco mais
Pois tudo o que quero é aquilo não me exige nada...