Loading...

terça-feira, 13 de julho de 2010

Spaghetti à pobre

É assim,
enches um copo de vinho,
ou o que houver na cozinha
Pegas num tacho e ferves uma certa quantidade de água,
botas-lhe, sei lá, um punhado de sal normal, simples sem esquisitísses,
Pegas num punhado de spaghetti partes ao meio para caber no tacho que é sempre pequeno
(isto não é um restaurante Michelean)
e atiras lá para dentro
Entretanto, enquanto fazes isto ou depois,
mergulhas uma tacinha, mergulhas na água a ferver e sacas um pouco de água quente à qual misturas um caldo de galinha (ou peixe,...não te preocupes pois só tu comerás disto), desfazes e deixas em cima de qualquer coisa
Bebes outro copo de tinto de qualquer lado, pois tanto trabalho exige expiração (...de pecados....quem trabalha, peca)
cortas uma cebola portuguesa com alhos - umas cinco cabeças - portugueses (por causa destes estrangeirismos, come-se muito pouco alho em Portugal) e atiras tudo para dentro de uma frigideira meio alta, com muito azeite, sem te preocupares com a quantidade,
Pegas em tomates e coisas e deitas tudo para o meio, mexes
enquanto continuas a beber o terceiro copo de tinto,se ainda tiveres, senão, outro,
de vez em quando mexes nisso tudo
muitas vezes até atiro um pouco - não muito - de vinho do meu copo lá para dentro -
depois de uns tempos - o teu corpo tem de aprender por si mesmo quanto - com um garfo sacas um fico de massa e provas...se estiver, não completamente cozido, não completamente cru, está "al dente" ou assim mais ou menos (dás uma dentada e olhas para o fio de massa, se a parte de fora estiver branca e a parte de dentro um pouco mais escura ...acho que é isso que os gajos chamam de al dente)
Bebes outro copinho cheio (podes mudar o tamanho do copo enquanto preparas este cozinhar pobre)
Tiras essa água toda, da massa, não quererás afogar-te numa coisa estranha qualquer,
e atiras tudo para dentro da frigideira essa de que falei há pouco.
Se tiveres qualquer coisa esquisita no frigorifico que tem alguns dias, atira lá para dentro, pois o calor mata tudo.
Bebes outro~
Se tiveres um caldo de qualquer coisa, knor, de peixe, de galinha, ou isso, corta e atira lá para dentro, mistura tudo,
bebe outro e enche o copo
prova o copo cheio.
Monta a mesa: um prato um garfo e um ou duas fatias de pão Alentejano
senta-te,
Bebe um ou dois golos
desfrega algum desse spaghetti para o teu prato branco
com o garfo enrola e começa,
bebendo e comendo podes desfrutar desta refeição rápida e natural
Da próxima vez, se te esqueceste do sal, adiciona,
se te esqueceste dos oregãos, adiciona
mas não te esqueças de beber
Se não tiveres vinho,
não cozinhes

------

Poor man´s Spaghetti
You do it like this:
Fill up a glass of wine,
Or whatever alcoholic drink
Grab a pot and boil a certain quantity of water,
Throw inside…what could I say,…..a handful or so of simple salt, with no weirdness’s,
Grab a handful of spaghetti, break i into half to fit inside the pot which is always small,
(this is no Michelean restaurant)
And throw it inside
Meanwhile, while you are doing this, or after,
Dip a small bowl in the boiling water and take some of that boiling water out to which you add a chicken stock, (or fish,or whatever …. do not worry for only you will eat this), liquefy this into the boiling water and just leave it somewhere.
Drink another glass of some red wine from some place, for so much work demands some type of expiation (…of sins: whoever works, sins)
Cut a reasonable size onion, with garlic – about five Portuguese cloves – (because of these foreigner habits, we eat very little garlic in Portugal),and throw everything into a high frying pot with lots of olive oil – do not care about the amount.
Grab some tomatoes other stuff and throw it all into the middle, mix it while you keep on drinking your 3rd glass of wine, if you still have or else another one.
Once in a while, miss all of this up, giving it a natural stir
Many times I even throw in a little, not much, of wine from my glass
After a while – your body has to learn by himself how much – with a fork, take out a string of spaghetti and taste it….if i is not completely cooked, not completely raw, it is “al dente”…or more or less (take a look at the bite, if the outside of the string is white and the inside is darker, it is what those guys call “al dente”)

Drink another full glass of wine (you can, change the size of the glass while you prepare this paupers dish)
Take out all the water, for you do not want to drawn yourself in some strange thing, and throw everything into the frying pot I talked about a while ago.
If you have some weird stuff in the fridge, or days-old things, throw it inside, for the heat will kill everything extra.

Drink another one
If you have a Knor cube of chicken or fish or something, cut it up and throw it inside…
Mix it all up
Wait,...use up the stock you made with the boiling water...

Drink another one and fill your cup
Taste from the full cup
Set up your table: a fork, and one or two of Alentejo bread
Seat down
Drink once or twice
Smudge some of that spaghetti into your white plate
With the fork, roll up some noodles and start,
no need to dirty a spoon, use the bread,
Drinking and eating you can enjoy this fast and natural meal
Next time you cook this again, if you forgot salt, add it,
If you forgot oregano, add it,
But do not forget to drink
If you have no wine,
Do no Cook

Pois é

Meia garrafa de vinho, pois é
É mesmo verde, e chama-se
Aldeia Branca
Giro, simples, verde
fresquíssimo,
Celebrado hoje a partir das 11:45h da manhã
Estou contente, triste,
mas satisfeito

....

Devia ter comprado duas garrafas

O verde e o amor

Caminho como o meu amor
lado a lado
sabendo que não me quer
como eu, com tanto ardor

evito os seus olhos
de pestanas largas e gentías
falo sem intenção
os meus nervos atados em molhos

sem me desfazer nem pestanejar
volto donde vim
abro um verde fresco
e delicio-me no verde amar

sábado, 10 de julho de 2010

Onde?

Onde é que te vou magoar?
Como te causarei um mundo de dor profunda?
Pessoa tão prefeita, bonita, sem dor nem sofrimento?
Como pode tanto amor continuar ileso
sem desgaste, nem cansaço nem guerra?
Vem, bebe comigo,
mais uma vez bebe-me
Bebe tudo o que tenho
Da minha cave retira os melhores vinhos,
Colhe
Colhe da mim as melhores colheitas
Colhe de mim tudo
Que eu tenho muito
Deixa depois descobrir como é que a dor te penetra
Como é que tu magoada e triste, vives
Bebe comigo e gozemos estes últimos momentos juntos
Esta alegria da tua amizade, do teu grande amor, da tua lealdade
Bebamos juntos e relembremos
Relembremos o nosso futuro longíncuo, depois de tudo acabar

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Alentejo

Os lábios

Ontem vi tanto os teu lábios
vi-os moverem-se e parados
torcendo, comprimindo e rindo,
ai que tanto vi esses lábios
quem os beijará
quem sentirá o seu calor
não sei, mas sei que nunca os beijarei
que nunca se chegarão aos meus
que nunca gemerão com os meus
ai que ontem vi tanto os teus lábios
mas aqui pelo menos tomas um copinho comigo
e cheiras o mesmo vinho
bebes o mesmo sabor
e o vinho, como a mim,
envolve-te com um certo amor
Ai tanto vi ontem os teus lábios

quarta-feira, 7 de julho de 2010

A Palavra

A Palavra é
o meu sonho
o meu acordar
a minha cama

A Palavra é
o meu sentir
o meu amor
a minha paixão

A Palavra é
aquela flor
aquela erva
aquela montanha

A Palavra é
o vento respirando no meu corpo
o sol aquecendo a minha pele
o mar

e é os rios, as nuvens, a neve
e é a vinha, a uva e o vinho

Esta é a Palavra de Deus

A Palavra de Deu é
este copo que tenho na mão
esse copo que tens na mão
e o nosso bater junto