Loading...

sábado, 26 de março de 2011

O Silêncio das Rolas

Cansada sentas-te na tua cadeira de baloiço. Eu, como gosto, no meu banquinho rente ao chão.
Ainda tens terra nas unhas e seguras um copo meio cheio de um tinto que hoje ainda me sabe melhor
Vejo-te a baloiçar com o som das rolas ao entardecer
As tuas pernas à vontade,
Os teus calções sujos,
O teu cabelo apanhado
O teu queixo levantado
Olhas-me e sorrio
e sorris
e bebemos no silencio das rolas

Quero um copo na mão

Sem dono
sem dona
ou contigo
quero um copo na mão
quero que mo encham
com um tinto da cores dos teus lábios de ontem à noite
Fica comigo hoje também,
vamo-nos provar
deliciar e pensar em nada.
Somos livres agora

O Nada e o vinho




Se com vinho te embebedas, sê feliz,
Se sentado com uma cara como a lua (linda), sê feliz,
Uma vez que o propósito do universo é o nada;
então visualiza o teu nada e, enquanto és, sê feliz!

..........

Bebe vinho, ele te devolverá a mocidade,
a divina estação das rosas, da vida eterna,
dos amigos sinceros. Bebe, e desfruta
o instante fugidio que é a tua vida.

Omar Khayyam

segunda-feira, 7 de março de 2011

18cm


Sonhos com 18 centímetros
perfeitos e sensuais
ainda que fossem 18 milímetros
outros nao haveria iguais

Tenho um desejo constante
por um corpo belo e fascinante
é esse que quero agora,
a cada hora e sem demora

Vejo-te de frente e detrás
e o meu corpo estremece,
acorda assim e assim amanhece
como desejo o que nunca me dás